P H I L O S O P H Y P I C T U R E S O P I N I O N S M E N U T H E  G R O U P C O N T A C T S H O M E

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

K A I S: "O Melhor Restaurante do Euro 2004.

No andar de cima do edifício, que chama a atenção de quem passa na Av. 24 de Julho, funciona o restaurante Kais, que foi considerado, pela Coca-cola Internacional, o melhor restaurante do Euro 2004..."

Portalalimentar.com

 

"... O Restaurante Kais, instalado numa velha fábrica que fornecia a electricidade aos eléctricos, e que, depois de reconvertida, transformnou-se num restaurante espectacular à luz das velas: paredes com tijolos à vista, um pé direito altíssimo, elementos de ferro forjado, janelões e oliveiras no interior. A cozinha internacional com um toque português, com excelentes pratos como escalopes de vieiras e camarões em molho de champagne. O jantar é acompanhado por uma banda muito própria que toca ao vivo temas de Jazz e Blues. Como complemento existe uma Adega em baixo que oferece uma enorme diversidade de pratos típicos portugueses como p.ex, salada de polvo..."

New York Times

Local de eleição para se jantar

[ USA ]

 

"Apesar de ainda não ter sido distinguido com nenhuma estrela Michelin, a comida servida no Kais é tão notável quanto a decoração com correntes industriais suspensas de um pé direito altíssimo, água a jorrar de cascatas, oliveiras nos janelões e mobiliário inspirado em Lloyd Wright. O conjunto é simplesmente brilhante, sendo um excelente restaurante em qualquer parte do mundo..."

Departures Magazine

Food and Wine favorite places in the world

[ USA ]

 

"Localizado junto ao Rio Tejo num antigo armazém, magnificamente reconvertido em restaurante pela mão da mais conceituada decoradora portuguesa, oferece ao cliente o mais elevado padrão de qualidade.

A cozinha é internacional e muitíssimo boa, o atendimento perfeito e a atmosfera excelente..."

Global Magazine

The best restaurants in the world

[ Inglaterra ]

 

"É um dos melhores restaurantes europeus que alguma vez visitámos. O ambiente do KAIS é sempre glamoroso. É frequentado por homens de negócios, políticos, artistas e pessoas famosas, portuguesas e estrangeiras, que completam o cenário: uma decoração industrial-chique concebida pela mais conceituada arquitecta de interiores portuguesa.

A deliciosa ementa, para gourmets, inclui interpretações modernas de especialidades tradicionais portuguesas..."

Charm Magazine

A caccia di piacere nelle capitali europee

[ Itália ]

 

"Numa recente visita a Lisboa fomos conhecer o novo restaurante KAIS. Uma antiga fábrica recuperada, onde se oferece o melhor da nova gastronomia lusa. Respeitando a traça industrial da época, distinguem-se com grande protagonismo as oliveiras plantadas nas grades janelas. Um restaurante onde se come como um Rei e que coloca Portugal na rota dos melhores restaurante de sempre em todo o mundo..."

Revista Travel

Viaje de negocios en la capital lisboeta

[ Espanha ]

 

"Reconversão estonteante de um antigo armazém à beira Tejo...

Com os sabores fantásticos que saem da sua fabulosa cozinha e um atendimento impecável, a noite só poderá ser pura magia, é realmente um restaurante único a nível mundial..."

Architectural Digest

Les plus belles maisons du monde

[ França ]

 

"E para não fugir ao que de bom Lisboa oferece, bem juntinho ao Rio Tejo, deguste-se com um bom prato de comida requintada, no restaurante Kais. Uma decoração impressionante e futurista para este ex-armazém portuário transformado em restaurante. Um espaço muito requintado, para apreciadores da «nouvelle cuisine», com pratos com uma apresentação cuidada. Última criação do grupo K, com uma linha idêntica à imagem que têm transmitido ao público com as discotecas Kremlin, Kapital e o mais recente Konvento. Sugerimos experimentar o Salmão Fresco Marinado e Condimentado, a Sopa Cremosa de Carangueijo, a Cataplana de Lagosta ou o Bife do Lombo coberto de Foie-Gras sobre Molho ao Vinho do Porto."

Diário Económico

Noite Dentro

[ Portugal ]

 

"Um espaço onde a arquitectura futurista e a gastronomia com 'griffe' são cartões de visita. Bons argumentos para conheçer Kais, mesmo à beira Tejo.

Uma decoração impressionante e futurista que nasce da recuperação de um velho armazém portuário transformado em restaurante. Um espaço muito requintado e para os verdadeiros apreciadores da 'nouvelle cuisine'. Ali, os pratos são senhores de um requinte e uma apresentação estudada que fazem a imagem de marca da casa. O Kais é uma das últimas criações do grupo K, com uma linha de arquitectura de interiores idêntica à imagem que têm transmitido ao público com as discotecas Kremlin, Kapital, o recente Konvento e o Klube, em Vilamoura.

O restaurante Kais nasce assim da recuperação de um velho armazém à beira Tejo, onde, nos finais do século XIX, se gerava a energia para os eléctricos que ainda hoje circulam pelas ruas de Lisboa. E só isso já o torna num restaurante diferente e único em Lisboa.

O 'design' e decoração de interiores tem a inequívoca assinatura de Maria José Salavisa, que apostou na manutenção e respeito pelo aspecto industrial da época. A reflexão e o resultado deste trabalho, espelha bem o pensamento do arquitecto Otto Wagner, no qual a designer portuguesa se inspirou, em que a estrutura de um edifício e o material para ela utilizado devem ser visíveis. E por esta razão permanecem à vista todos os elementos da estrutura de ferro e pormenores da velha oficina.

As oliveiras milenares que fazem de porteiros do espaço são uma evocação histórica de passado e de um símbolo de felicidade. Logo à entrada, a água que jorra para um lago sugere a ligação ao mar e ao marco histórico dos descobrimentos. Este ambiente 'industrial-chic' é também criado pelo mobiliário inspirado em Frank Lloyd Wright e pelo jogo de luzes e velas que transformam a sala imensa numa atmosfera íntima e acolhedora ao som da banda privativa que toca, ao vivo, temas eternos de 'Jazz Fusion'.

E depois a gastronomia. Aqui sugerimos que experimente o «Salmão Fresco Marinado e Condimentado», a «Sopa Cremosa de Carangueijo», a «Cataplana de Lagosta» ou o «Bife do Lombo coberto de Foie-Gras sobre Molho ao Vinho do Porto». E não se vai arrepender. Porque a 'nouvelle cuisine' bem confeccionada e para os bons garfos, chegou a Lisboa e está para ficar. O conjunto é de aconselhar sendo um excelente restaurante em qualquer parte do mundo. Único e a visitar. Na parte de baixo, o espaço dá lugar a outro restaurante, Adega do Kais, onde a 'nouvelle cuisine' é substituída pela comida tradicional portuguesa. Sendo, neste caso, o seu prato forte. Também a não perder."

Diário Económico

Quando a indústria inspira a gastronomia

[ Portugal ]

 

O AMOR DA CHEFE MIMI

O restaurante Kais reúne os atributos necessários para fazer a noite acontecer: cozinha espectacular da autoria da Chefe de Cozinha Mimi, espaço com decoração de Maria José Salavisa, mobiliário inspirado no estilo de Frank Lloyd Wright, música ao vivo com banda jazz, serviço impecável e discreto, aconselhamento do escanção Rui Rodrigues para quem está mais perdido perante a diversidade das escolhas de várias pessoas, serviço de bar eficiente com o barman Alfredo Ferreira. Por todos estes motivos certamente acaba de se sagrar o 'Melhor Restaurante do Euro 2004'. Num outro piso desta Casa, encontra-se um outro restaurante, a Adega do Kais, um conceito totalmente diferente, que oferece uma cozinha genuinamente portuguesa. Este projecto pertence ao Grupo K, propriedade dos irmaõs Rocha, bem conhecidos de outras iniciativas como as discotecas 'Kapital' e 'Kremlin', o bar 'Konvento' e o recém-inaugurado restaurante 'Kasa da Praia', na Foz do Porto.

O restaurante Kais, situado na Rua da Cintura, em Lisboa, tem desde há três anos na respectiva cozinha a Chefe Executiva Mimi e desde que a Chefe entrou que o local tem vindo a melhorar a cada dia. 'Muitas pessoas dizem foi o amor da Mimi que deu a volta ao Kais', diz a Chefe. 'Amor' é assim a filosofia da Chefe de Cozinha, que parece ter contagiado toda a equipa. Quem visita a cozinha do Kais percebe que as quase 100 pessoas que trabalham nesta Casa o fazem em harmonia e forte coordenação.'Os Chefes têm de estar na cozinha e não nos escritórios.Se fizesse apenas fichas técnicas para a minha equipa seguir, não existia o lado humano e isso é muito importante. Os jovens precisam de abertura para perceber que a cozinha é uma invenção diária, onde é necessária até alguma alquimia'. Quando a Chefe Mimi chegou ao Kais não mudou a ementa já implantada, mas fez alguns ajustes na confecção, dando uma nova imagem, diminuindo, sobretudo, os tempos de espera, mudando o paladar e apostando na qualidade dos ingredientes utilizados na cozinha do Kais. 'Garanto a qualidade dos ingredientes porque sou eu que faço a escolha. Temos o serviço Economat que negoceia os preços e eu escolho o produto. Aquele que não me agrada é devolvido. A minha empresa tem confiança total naquilo que decido porque os resultados estão à vista. Infelizmente, a maioria das pessoas que está na restauração não percebe que quanto melhor é o produto maior é a rentabilidade. Por exemplo, o foie gras não pode ser muito trabalhado porque se estraga. No entanto, também é verdade que um grande Chefe sabe transformar uma matéria menos nobre em ex libris.' A ementa do restaurante Kais apresenta um único 'problema': o embaraço da escolha.

Mimi apresenta seis sugestões semanais além do menu à la carte e organiza épocas temáticas, como é o caso em Dezembro e início de Janeiro, tempo dedicado à caça, com propostas como o Faisão Estufado com Couve Lombarda, os Lombinhos de Lebre com Molho à Caçadora, o Javali com Frutos Silvestres e Puré de Castanha, mas também os fantásticos Medalhões de Veado com Pimenta da Jamaica. A Chefe Mimi adora os sabores do Outono, quentes e consoladores, encontrados em ingredientes como a batata doce, a castanha ou a abóbora e as especiarias, por isso criou, por exemplo, os Medalhões de Lombinho Ibérico com Suco de Especiarias, Puré de Castanha e Batata Doce, a Perninha de Ganso Confitada com Molho de Laranja e Sabores de Outono ou ainda, nas sobremesas, o Fofinho de Castanha Aromatizado com Molho de Baunilha e Canela. Em jeito natalício, uma criação magnífica em aromas e sabores: o Papo de Anjo com Emulsão de Citrinos. A época da Caça no Kais já havia sido implantada no ano passado com muito êxito pela Chefe e apesar de ser um mundo de sabores muito especiais, isto é, por vezes apenas apreciado por alguns, há bastante procura por parte do público. 'Acho que devemos de comer a caça quando é a época dela, indo até 15 de Janeiro já vai um pouco além da época, mas é a altura em que deve ser comida. Gosto muito de trabalhar a caça.Gosto de funcionar na cozinha de acordo com a época e penso que o corpo humano não pede que lhe demos cerejas em Dezembro, por exemplo, ou ervilhas.'

Mas, voltando um pouco atrás, às 'Entradas' que fazem parte das sugestões da Chefe, o extâse aconteceu durante um jantar no Kais com os Escalopes de Foie Gras Salteados com Laranja: foie gras de primeira, combinado na perfeição com a laranja cortada às tiras e colocado por cima de uma fatia de pain d' épices. Destaca-se também nas entradas os Escalopes de Fígado de Ganso com Redução de Moscatel com as suas Uvas.

O restaurante Kais é um local para uma refeição tardia, que entre pela noite dentro, com tempo, começando por experimentar o bar, cuja lista se apresentou completa, indo dos cocktails não-alcoólicos, com nomes sugestivos como a Virgin Mary ou Pussy Foot até ao Kais Fashion, um cocktail criado espontaneamente pelo barman, Alfredo Ferreira, para o site chefesdecozinha.com. Se a escolha for o Champagne, também são várias as propostas, entre as quais se destaca o degustado Henriot Brut, muito agradável, sugestões de vinhos generosos nacionais e estrangeiros, Long Drinks, as várias caipirinhas reinventadas, entre outros. Experimentou-se uma proposta do escanção da Casa, o Covela Tinto 2000 da Região do Minho, vinho de poucas madeiras, mais floral, e que ía bem com o peixe e a carne. É necessário frisar que o Restaurante Kais oferece este tipo de serviço com casa cheia, cuja capacidade é de 200 a 250 lugares. 'Infelizmente a cozinha do Kais não é uma cozinha de autor dado que não invento todos os dias. É impossível tê-la aqui porque, hoje, por exemplo, temos 140 reservas e chegam a ser 200 a 250 pessoas.Todavia, esta cozinha é feita com muita minúcia. Eu controlo todos os pratos que saem para a sala porque não posso pôr o meu nome em jogo. Por exemplo, actualmente muitas pessoas dizem que tenho um dos melhores rissottos de Lisboa, mas levei cerca de um mês e meio a aperfeiçoá-lo com os meus cozinheiros. É preciso dar 'festinhas', acompanhar a sensibilidade de cozedura, o risotto tem uma ciência .' A Chefe Mimi gostava de mudar a ementa todos os três meses, mas com o ritmo da Casa é muito difícil. Também gostava de ter uma mesa para que os visitantes do Kais pudessem ir à cozinha e provar algumas propostas. Quanto aos ratios do Kais são discutidos com a direcção financeira e procuram trazer ao restaurante tanto pessoas com um elevado poder económico como pessoas com poder económico médio. Mesmo a quantidade de comida oferecida nos pratos é pensada pela Chefe de forma a não deixar as pessoas 'enjoadas', mas também a não ser uma quantidade 'ridícula'. Na carne, por exemplo, oferece sempre pelo menos 220g. No entanto, o Kais é, muitas vezes, o preferido pelas vedetas nacionais e internacionais. Este ano o restaurante Kais foi visitado por Victoria Beckam e Alain Delon. Victoria Beckam apenas provou as ostras do Kais e morangos, sendo de referir que, de facto, o Kais serve as ostras de forma exemplar.

Acontece que apesar de ser um espaço gigante, acaba de proporcionar uma atmosfera muito intimista, com as muitas velas, a pouca luz artificial, o tom negro predominante do armazém que outrora abastecia os eléctricos com energia. O arquitecto Otto Wagner aproveitou ao máximo a estrutura em ferro do edíficio, as paredes, até mesmo alguma maquinaria que ali se encontrava, colocou as oliveiras no interior do restaurante, iluminadas estrategicamente.

A equipa da cozinha conta com oito pessoas, incluindo a Chefe.Há uma aposta clara na pastelaria, pois são quatro os Chefes Pasteleiros do Kais. A Adega do Kais conta com quatro elementos na cozinha. O conceito de Menu Degustação não se aplica no Kais também devido ao volume de apreciadores que todos os dias se deslocam para se deliciar com as propostas do restaurante.Aberto todos os dias, o restaurante apenas fecha ao domingo e segunda-feira, e o horário da cozinha começa sempre às 20 h, todavia de segunda a quarta-feira encerra à meia noite enquanto de quinta a sábado encerra à 1h. Referimos ainda que o Kais tem na ementa um prato para vegetarianos, a Lasanha de Espinafres com Queijo Ricota. Da lista de sopas, o Gratinado de Cebola é a sugestão da Chefe, mas existem ainda o Creme de Caranguejo com Estragão, o Aveludado de Coentros e o Gaspacho, as saladas são elaboradas de acordo coma solicitação, há ainda Linguado para grelhar, para algumas dietas, e alguns pratos mais exóticos como o Caril de Gambas com Coroa de Arroz Vermelho, servido com Ananás, Frutos Secos, Coco Ralado e Papandum. Os pratos que já fazem parte da tradição do Kais são a Pasta Fresca com Nacos de Lagosta e Gambas, mas também o Tornedó com Molho de Queijo da Serra.

www.chefesdecozinha.com

Desci um pouco e voltei a uma casa recente, mas já cheia de tradição: o Kais na rua da Cintura em Santos.
Este projecto dos irmãos Rocha, dirigido pelo Paulo Dâmaso e desenhado pela Maria José Salavisa, continua a ser o luxo a todos os níveis: o espaço amplo mas no fundo acolhedor, a decoração retro mas muito futurista, o serviço presente mas num formato discreto, uma carta de vinhos tão vasta e rica que deve fazer corar muitos distribuidores.
E por fim o melhor: A arte na cozinha da Chef Mimi, que não perde uma oportunidade de nos visitar à mesa e pedir a mais sincera opinião. Há espaços que são realmente magníficos.

Publicada por EUSOUGOURMET em 6/21/2009 12:25:00 PM

 

H O M E